Farmacogenética

TIOPURINAS

Estudo do gene da TPMT para avaliação da toxicidade às Tiopurinas: 6-Mercaptopurina e

6-Tioguanina

Estudo do gene DPYD para avaliação da toxicidade ao

5-Fluorouracil

5-FLUOROURACIL

Estudo do gene UGT1A1 para detecção de toxicidade ao Irinotecano

IRINOTECANO

 

Estudo do gene da TPMT

para avaliação da toxicidade às Tiopurinas: 6-Mercaptopurina e 6-Tioguanina

ASPECTOS GERIAS

 

A 6-Mercaptopurina e 6-Tioguanina são antimetabólitos análogos às purinas, usados no tratamento de leucemias e linfomas em crianças e adultos. A meia-vida destes fármacos depende de sua catabolização realizada pela enzima Tiopurina S-metiltransferase (TPMT). Existem variantes da TPMT que apresentam atividade diminuída.

 

Os pacientes que possuem estas variantes podem sofrer toxicidade hematopoiética potencialmente fatal, devido à mielossupressão. O FDA adverte que a identificação de variantes alélicas do gene TPMT permite prever os níveis de toxicidade às tiopurinas, recomendando o estudo destas variantes aos pacientes antes do começo do tratamento.

 

 

ESTUDO ESPECÍFICO REALIZADO PELO LABORATÓRIO GENIA

 

Identificação das variantes não funcionais da enzima TPMT - *2, *3A,*3B, *3C e *4, responsáveis por mais de 95% dos casos de atividade enzimática intermediária ou baixa. Se os pacientes apresentam uma cópia do gene normal e uma cópia não funcional possuem uma atividade TPMT intermediária, enquanto os que apresentam duas cópias não funcionais possuem uma atividade deficiente.

 

 

IMPLICAÇÕES CLÍNICAS

TIPO DE AMOSTRA

 

O estudo é realizado a partir de uma amostra de sangue total (EDTA) ou escova bucal. Não necessita de jejum.

 

 

PRAZO DE ENTREGA DO RESULTADO

 

1 semana

Estudo do gene DPYD

para avaliação da toxicidade ao 5-Fluorouracil

 

ASPECTOS GERIAS

 

O 5-Fluorouracil (5-FU) é utilizado no tratamento do câncer colorretal, de mama, cabeça e pescoço e no trato aerodigestivo. Por volta de 80% do 5-FU é metabolizado no fígado pela enzima dihidropirimidina-desidrogenase (DPD). Uma deficiência na DPD aumenta a meia-vida de 5-FU em até 100 vezes. Os níveis elevados da droga são causas de neutropenia, diarreia severa, estomatite, mucosite e neuropatia, podendo levar à morte.

 

A deficiência de DPD ocorre em 4-8% da população em geral. O FDA contraindica a utilização de 5-FU nos pacientes deficientes em DPD e recomenda a triagem dos mesmos antes do tratamento em pacientes com indicação de 5-FU.

 

Cada pessoa tem duas cópias deste gene, uma herdada da mãe e outra do pai. Quando as variantes das duas cópias são iguais o paciente é homozigoto. Quando são diferentes é heterozigoto.

 

 

ESTUDO ESPECÍFICO REALIZADO PELO LABORATÓRIO GENIA

DPYD*2A

Homozigoto | não possui atividade enzimática.

Heterozigoto | redução de 50% da atividade enzimática.

DPYD*13

Homozigoto | redução de 25% da atividade enzimática.

D949V

Homozigoto | redução de 50% da atividade enzimática.

IMPLICAÇÕES CLÍNICAS

 

Segundo as variantes que apresenta o paciente, elabora-se um escore que determina a dose a ser utilizada.

TIPO DE AMOSTRA

 

O estudo é realizado a partir de uma amostra de sangue total (EDTA) ou escova bucal. Não necessita de jejum.

 

 

PRAZO DE ENTREGA DO RESULTADO

 

1 semana

 

Estudo do gene UGT1A1

para detecção de toxicidade ao Irinotecano

ASPECTOS GERIAS

 

O irinotecano é uma droga utilizada no tratamento do câncer colorretal e de pulmão. A meia-vida da droga depende da enzima UGT1A1, responsável por sua catabolização.

 

Existe uma variante desta enzima, chamada *28, cuja atividade catabólica é bem inferior a da variante normal. A administração de doses padrão de irinotecano em pacientes que possuem duas cópias da variante *28 ((homozigoto) acarreta maior risco de toxicidade, diarreia e neutropenia. Aproximadamente 15% da população apresenta esta condição.

 

 

ESTUDO ESPECÍFICO REALIZADO PELO LABORATÓRIO GENIA

 

Detecção da variante UGT1A1*28 em estado homozigoto ou heterozigoto.

 

 

IMPLICAÇÕES CLÍNICAS

 

Os pacientes com a variante *28 homozigota podem se beneficiar da ação terapêutica sem os riscos associados com esta variante, caso seja diminuída para uma dose entre 90-150 mg/m2.

 

Desde 2005 o FDA exige a colocação de um aviso no rótulo da droga, definindo o alto risco de neutropenia grave nos pacientes UGT1A1*28/ UGT1A1*28.

 

 

TIPO DE AMOSTRA

 

O estudo é realizado a partir de uma amostra de sangue total (EDTA) ou escova bucal. Não necessita de jejum.

 

 

PRAZO DE ENTREGA DO RESULTADO

 

1 semana

Genia Brasil

51 3268.0086 | 99942.1390 (Whatsapp)

11 5096.5470 | 99964.6118 (Whatsapp)

 

Av. Borges de Medeiros, 2500/1805 | Porto Alegre | RS

Av. Vereador José Diniz, 3725 /74 | São Paulo | SP

Siga-nos:

  • White Facebook Icon
  • White YouTube Icon